sexta - 22 de novembro de 2019
32º Max
19º Min
Parcialmente Nublado

Lançamento do Livro “O Língua” do escritor formosense Eromar Bomfim foi um sucesso

Publicado em: 16/8/2019

Olha. Eu não sei dizer para onde depois daqui. O que sei é que a perseguição não acabou, e parece que nunca vai acabar”. É com essa frase forte e tão contemporânea que o formosense Eromar Bomfim inicia seu livro “O Língua”, romance que teve seu lançamento em Formosa do Rio Preto na noite desta quinta-feira (15/08), na Câmara de Vereadores.

Com casa cheia, o evento promovido pela Prefeitura de Formosa do Rio Preto, por meio da Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo, e editora Ateliê Editorial foi um verdadeiro sucesso e emocionou o público com o resgate cultural em uma apresentação dos Reis dos Caboclos, protagonizada por João, Clarice, Clesiomar, Maguinha, Selma Lúcia e Som.

Entre os presentes estiveram o prefeito Dr. Termosires, a primeira-dama e secretária de Políticas Estratégicas, Ronúbia Setúbal, o presidente da Câmara de Vereadores José de Zuza, os vereadores Netinho, Manuela e Rosita, a Secretária de Cultura, Lucina Bispo, os secretários de Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Isael Rocha, e de Assistência Social, Edilberto Santana, o cardiologista Dr. Euclides,

Estou muito alegre de estar aqui, olhando no rosto de vocês porque tenho uma ligação profunda com minha cidade e com todos vocês. Impressiona-me muito positivamente o fato de estarmos aqui em um evento cultural em torno de uma criação literária que trata de brasileiros e que reflete os conflitos que perduram em nossa sociedade”, disse o autor.

Dr. Termosires Neto reforçou o agradecimento pela disponibilidade de Eromar em realizar o lançamento no município e o parabenizou mais uma vez pela trajetória literária que vem construindo. “Fizemos questão de trazer nossos filhos Bia e Isaac para também prestigiarem nossa cultura, nossa história e nosso povo. O incentivo à leitura e produção literária é fundamental para que tenhamos uma sociedade mais politizada e preparada para contribuir para dias melhores para todos”, pontuou Termosires.

A Secretária Municipal de Cultura, Luciana Bispo, ressaltou o sucesso de crítica da obra, que foi recomendada pelo caderno de cultura “Aliás” do jornal Estadão como um dos “dez livros essenciais” entre os lançamentos brasileiros e estrangeiros em janeiro de 2019, além de ser pauta de matérias e resenhas em importantes veículos de imprensa, a exemplo da Revista Carta Capital.

O Língua” conta a história da origem do povoamento da Bahia sob a ótica dos povos indígenas que habitavam os sertões centrais baianos e se refugiaram nos gerais do Rio Preto. O ponto de convergência das histórias individuais relatadas por quatro narradores (Aleixo, que mora no Brejo do Tatu; Ascuri, no Brejo da Capoeira; Cristóvão no Brejo dos Cavalos; Kalankó, na Cacimbinha; Ialna, no Brejo Fino) é a história de Leonel, mameluco, primeiro brasileiro, como ensina Darcy Ribeiro. Ele nasceu de uma união violenta de Antônio Pereira, fazendeiro e padre, destruidor de povos indígenas, com a menina Ialna, por ocasião de um assalto a uma aldeia anaió.

Eromar Bomfim nasceu em Formosa do Rio Preto (BA). Filho de comerciantes, aos 13 anos de idade, mudou-se com a família para São Paulo. Estudou Letras na USP, com pós-graduação em literatura brasileira. Publicou o romanceO Olho da Rua”, pela Nankin Editorial, em 2007, e “Coisas do Diabo Contra”, pela Ateliê Editorial, em 2013 e, agora, O Língua, também pela Ateliê Editorial.