terça - 12 de novembro de 2019
37º Max
21º Min
Predomínio de Sol

Mais comunidades rurais de Formosa do Rio Preto são cadastradas para regularização fundiária

Publicado em: 19/6/2019

O cadastro da regularização fundiária e ambiental chegou a mais comunidades rurais de Formosa do Rio Preto nesta semana. Na segunda-feira (17/06), foram atendidos pequenos agricultores rurais das comunidades de Tábuas, Intans, Morrinhos e Lagoa de Cima. Na terça (18/06), foram cadastradas famílias de Periperi, Pinto, Vazante, Passagem da Areia, Gavião, São João, Boa Sorte, Aroeira e Retiro. A iniciativa conta com a parceria do governo municipal e faz parte do Projeto Agenda Territorial da Bahia – AG-TER Terra Livre, gerenciado pela Secretaria Estadual de Planejamento (Seplan), envolvendo a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Coordenação de Desenvolvimento Agrário (CDA), o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, órgão da Secretaria do Meio Ambiente, a Universidade Federal do Oeste da Bahia (Ufob) e o Consórcio Multifinalitário dos Municípios do Oeste da Bahia (Consid).

Segundo o prefeito de Formosa e presidente do Consid, Dr. Termosires Neto, a gestão foi buscar a concessão desses títulos, através do governo estadual, por ser uma medida extremamente relevante para a comunidade rural do maior município em extensão territorial da Bahia e cuja relevância econômica no cenário estadual e nacional, enquanto uma das potências do agronegócio baiano, é incontestável.

“Nós temos muitos agricultores familiares sem condições de regularizarem a situação de suas terras e, consequentemente, sem acesso a linhas de crédito que os possa fazer ter melhores condições de obter renda e maior qualidade de vida. Por isso, a importância desse projeto para essas pessoas que tanto precisam do poder público. É mais segurança e perspectiva de vida melhor para as famílias”, evidencia o gestor, ressaltando a necessidade da contrapartida e apoio para os pequenos produtores.

A primeira etapa do Terra Livre, que é o cadastramento, já ocorreu nas regiões de Pitombeira, Malhadinha, Ouro, Canabrava, Arroz, Tábuas, Intans, Periperi, Vazante, totalizando mais de 30 localidades rurais a serem contempladas. A segunda fase, que é o georreferenciamento dos imóveis, também já foi iniciada nas primeiras comunidades cadastradas.